Graças, porém, a Deus que em Cristo sempre nos conduz em triunfo, e por meio de nós difunde em todo lugar o cheiro do seu conhecimento. Colossenses 1:10

Web Radio Gospel Da Covilha - ((( Portugal))) Sua Amiga De Todos As Horas

terça-feira, 30 de julho de 2013

Como preparar esboços de sermões e estudos


Os seguintes passos são necessários para o preparo de esboços de sermões…

1. Junte dados. A fonte de pesquisa é a Bíblia. Mas é necessário uma Bíblia com referências e notas marginais. Ter uma boa concordância, Dicionário da Bíblia, Atlas bíblico e Comentário. Anote tudo o que encontrar sobre o assunto que está sendo pesquisado.

2. Faça uma breve, mas inteligente análise do texto. Isto dará segurança ao pregador ao transmitir sua mensagem.

3.Faça um esboço procurando responder as seguintes perguntas:
Que lições estão contidas no texto? Qual a palavra chave? Sobre o que o autor está falando? Qual era o contexto histórico? Em que este sermão ajudará meus membros?

4. Ore pedindo ao Espírito Santo iluminação para entender a passagem escolhida e que a mensagem possa ser transmitida de tal forma, que as necessidades dos ouvintes sejam atendidas.
“Um sermão sem propósito e progressão reconhecível pode levar à confusão, e não à convicção e decisão”. Charles W. Koller, Pregação Expositiva Sem Anotações, pág.71

Um sermão para que possa ser entendido deve ter bem definido os seguintes passos:


1. Título ou Tema.
a) Este Título ou Tema deve ser breve. A brevidade tem a capacidade de prender a atenção.
b) Deve ser atraente. O título de um livro quando é sugestivo, atrai o leitor levando-o a comprá-lo e se interessar de lê-lo.
c) Deve estar em harmonia com todo o sermão.
d) Deve ser reverente e sacro.
e) Deve estar relacionado com as necessidades da congregação.

2. A introdução.
a) Deve preparar a congregação para ouvir a Palavra do Senhor e deixar claro a importância desta mensagem. Se quiser-mos atenção durante todo o sermão, precisamos criar interesse já na introdução.
b) Deve se deixar claro a idéia central do sermão. Qual o objetivo do sermão?

3. O Pontos Principais ou Corpo do Sermão (em algarismos romanos).
a) Deve ser em forma de uma sentença.
b) Deve ser tirado da idéia central do sermão.
c) Deve ter uma seqüência lógica.
d) Deve ter um crescimento de idéias para chegar a um final glorioso.
e) Deve ter como base e ser fortalecidos pela Palavra de Deus.

4. Subdvisões. (em algarismos arábicos). 
5. Ilustrações.
As ilustrações são consideradas as janelas do sermão. Mas cuidado para que seus ouvintes não saiam por estas janelas e não voltem mais. Cuidados que devemos ter com as ilustrações:
a) As ilustrações devem estar de acordo com o assunto do sermão.
b) Devem ser verídicas.
c) Que sejam rasuàveis.
d) De bom gosto.

6. Conclusão.
A conclusão deve responder a pergunta da congregação: Que faremos? Esta pergunta deve ser provocada pelo sermão. Os nossos ouvintes precisam saber como mudar de vida. E agora perguntam: Sim, mas como? Que faremos para colocar estes conceitos bíblicos em prática?
A conclusão deve refletir a nossa proposta para o sermão. Devemos levar a mente de nossos ouvintes para o objetivo, o alvo proposto durante o sermão. A conclusão precisa levar as pessoas a um compromisso de mudança de atitude, de comportamento, de vida.


I. O QUE VOCÊ PRECISA SABER

1. Sobre o Preparo do Sermão:
1.1.É indispensável possuir os seguintes materiais: uma Bíblia, uma Concordância (Chave Bíblica) e um Dicionário Bíblico.
1.2. O estudo principal deve ser feito na Bíblia, mas há um importante material de apoio nos livros e Comentários Bíblicos em geral.
1.3.O ideal é montar seu próprio esboço evitando mensagens prontas; é mais difícil, mas é a mensagem de maior poder.
1.4. O semão deve ser simples e claro para que todos compreendam a mensagem de Deus.
2. Sobre o Preparo Pessoal:
2.1. O fator mais importante no preparo do sermão é o preparo do pregador.
2.2. Conhecimento, técnicas ou talentos naturais não podem substituir um coração fervoroso, humilde, consagrado e entregue à direção de Cristo.
2.3. Só quem está em comunhão com Deus pode influenciar e inspirar os ouvintes e levá-los ao cresdmento espiritual.
2.4. O Pregador deve ser uma pessoa de oração. O sermão deve ser resultado da influência de Deus na mente do pregador em resposta às suas orações.
2.5. Deve ser um habitual estudante da Bíblia e não apenas usá-la para preparar o sermão.
3. Sobre os Ouvintes:
3.1. A mensagem deve suprir a necessidade pessoal do ouvinte.
3.2. As pessoas esperam que a mensagem traga solução para seus problemas.
3.3. Todos tem dificuldades, a mensagem deve trazer alento e sugerir soluções. Eis alguns dos problemas que as pessoas enfrentam:
a. Solidão.
b. Sentimento de Culpa.
c. Dificuldades Financeiras.
d. Medo do Futuro.
e. Problemas Familiares .

II. A ESTRUTURA DO SERMÃO

1. Introdução
Seu objetivo é despertar o interesse no assunto do sermão e esclarecer o propósito da mensagem.
2. Desenvolvimento do Assunto (Divisões do Tema)
São as seções principais do sermão. É a distribuição ordenada do assunto.
As divisões:
2.1. Tomam as idéias claras.
2.2. Promovem a unidade do assunto.
2.3. Enfatizam os ponto principais.
3. Aplicação
É um dos elementos mais importantes do sermão, é a apresentação prática da mensagem e a explanação de como torná-la parte do modo de vida pessoal.
4. Conclusão (Apelo)
É o momento de falar ao coração, solicitando que o ouvinte aceite a mensagem e decida colocar sua vida em conformidade com a mesma.
4.1. Partes da Conclusão:
a. Recapitulação - Ressalta as idéias principais.
b. Ilustração - Alcança o coração do ouvinte.
c. Apelo - Convite para mudar.
d. Motivação - É o“como” obter a mudança que o apelo sugere.
5. O que é ?
5.1. Título do sermão - É a expressão do assunto que será pregado.
5.2. Propósito do Sermão - É a frase que resume toda a idéia que o sermão vai apresentar.
5.3. Ilustração - É um recurso que toma a mensagem mais clara e o ouvinte mais suscetível ao sermão. Ela está para o sermão assim como a janela está para casa.
A janela permite a entrada de luz, a ilustração possibilita o esclarecimento da mensagem.
Ilustrar significa “lançar luz”.

III. PRINCIPAIS TIPOS DE SERMÃO

1 . Temático
É aquele que apresenta um assunto, doutrina ou verdade Bíblica independente dos textos usados.Seu conteúdo é totalmente Bíblico.É um assunto Bíblico apoiado por várias passagens da Bíblia. 

Exemplo de Sermão Temático: 

Causas das Orações não Respondidas
I. Pedir Mal - Tiago4:3.
II. Pecado no Coração - Salmo 66:18.
III. Duvidar da Palavra de Deus - Rago 1:6, 7.
IV. Vãs Repetições - Mateus 6:7.
V. Desobediência - Provérbios 28:9
2. Textual
É aquele que apresenta um texto ou pequena porção da Bíblia. Cada frase oferece um argumento que aponta para o assunto principal do texto.

Exemplo de Sermão Textual:

Dando Prioridade às Coisas Importantes
Texto: Esdras 7:10.
Assunto: O propósito do coração de um homem de Deus.
l. Disposição de Conhecer a Palavra de Deus.
“Esdras tinha disposto o coração para buscar a lei do Senhor”.
1. Numa corte pagã.
2. De maneira completa, 

II. Disposição de Obedecer a Palavra de Deus. 

“e para a cumprir”.
1. Prestar obediência imediata.
2. Prestar obediência completa.
3. Prestar obediência contínua. 

III. Disposição para Ensinar a Palavra de Deus. 

“e para ensinar em Israel os Seus estatutos e os seus juízos”.
1. Com Clareza.
2. Ao Povo de Deus.
Observação - As subdivisões foram extraídas do contexto do livro de Esdras e de passagens que ele conhecia como escriba: Esdras 7:6,11,12,14,21 e 25; Esdras cap. 9 e 10; Josué 1:8; Provérbios 8:34,35; Jeremias 29:13 e Neemias 8:5-12.
3. Expositivo
É aquele que apresenta o assunto de uma porção maior da Bíblia. A maior parte do conteúdo provém diretamente da passagem. O esboço consiste em uma série de idéias que giram em tomo do assunto principal.

Exemplo de Sermão Expositivo:

A Luta da Fé e a Condição para a Vitória
Texto: Efésios 6: 10-18.
Assunto: Aspectos relacionados com a batalha espiritual do cristão.
l. A Moral do Cristão. v 10 -14a.
1. Deve ser elevada. v 10.
2. Deve ser time. v 11-14a.
ll. A Armadura do Cristão. v 14-17 1. Armas de defesa. v 14-17a.
2. Armas de ataque. v 17b.
lll. A Vida de oração do Cristão. v 18.
1. Deve ser persistente. v 18.
2. Deve ser intercessora. v 18b.

IV. PREPARANDO O ESBOÇO

1. Escolher a Passagem Bíblica.
Ao escolher a passagem tenha em mente as necessidades espirituais e temporais da congregação, dificuldades, tensões ou ocasiões especiais.
O texto deve ser apropriado para a ocasião e precisa-se confiar na direção do Espírito Santo.
2. Estudar o Assunto.
Pesquisar a passagem para não aplica-la fora do contexto.
3. Descobrir o Ponto Principal da Mensagem.
Descobrir o princípio bíblico da mensagem que se aplique a todas as épocas e a todas as pessoas.
Estabelecer o relacionamento da mensagem com a vida dos ouvintes.
4. Construir do Esboço.
Depois do estudo do assunto, estabelecer as divisões do tema de forma progressiva, do mais simples para o mais amplo esclarecimento da verdade bíblica.
5. Preencher o Esboço.
Acrescentar subdivisões para que o assunto seja bem esclarecido. Onde for próprio ilustrar o assunto, usar a ilustração de forma apropriada para ajudar no esclarecimento do tema.
6. Preparar a Conclusão, Introdução e Título.
Enquanto os pensamentos da mensagem estão claros na mente, preparar a conclusão. A conclusão não deve ser longa, pois a atenção da maioria dos ouvintes é limitada.
A introdução e o título são feitos por último. Depois de tudo pronto a visão do assunto é mais clara e é mais fácil preparar estas partes que despertam o interesse no sermão.

V. CUIDADOS A TOMAR

1. Não Usar Títulos Impróprios.
O título deve estar de acordo com a dignidade do púlpito, não deve ser sensacionalista ou extravagante.
2. Não Usar Textos fora do Contexto.
Não fazer uma aplicação indevida do texto bíblico, dizendo o que a Bíblia não diz.
3. Não Preparar Sermões Longos.
4. Não Fugir do Assunto.
5. Não Usar Passagens Bíblicas em Excesso.
6. Não Usar Termos Impróprios para o Púlpito.

O púlpito não é um lugar para contar anedotas.
 

Não julgue um Livro pela Capa


Texto: Tiago 1:9-11, 2:1-13

Introdução: Você não pode julgar um livro pela capa.

Você não sabe o que está dentro de uma pessoa pelo que parece.

Muitas pessoas tomam a sua decisão acerca de uma pessoa baseado em...

I. A Capa

Aqui estão algumas das capas que as pessoas usam:
1. Aparência. A beleza é tudo em nosso mundo. Se você é bonito, você está feito. Nós julgamos as pessoas pela aparência, como elas se parecem e como se vestem.
2. Descendência. Nós julgamos as pessoas de acordo com a sua raça, sua nacionalidade, e os seus antecedentes étnicos.
3. Idade. Você é muito jovem ou muito velho.
4. Realização. Nossa sociedade adora vencedores e os perdedores... esquece. Sucesso e status são palavras-chave.
5. Riqueza. Nós julgamos as pessoas pela sua riqueza e status econômico.
Que atitude você tem com as pessoas que ganham mais dinheiro do que você?
Que atitude você tem com as pessoas que ganham menos dinheiro do que você?
Tiago 1:9-11 "Mas glorie-se o irmão abatido na sua exaltação, e o rico, em seu abatimento, porque ele passará como a flor da erva. Porque sai o sol com ardor, e a erva seca, e a sua flor cai, e a formosa aparência do seu aspecto perece; assim se murchará também o rico em seus caminhos"

II. A Imagem

Tiago nos dá um retrato do que se parece com favoritismo em uma igreja.
Tiago 2:2-4 “Porque, se no vosso ajuntamento entrar algum homem com anel de ouro no dedo, com trajes preciosos, e entrar também algum pobre com sórdido traje, e atentardes para o que traz o traje precioso, e lhe disserdes: Assenta-te tu aqui num lugar de honra, e disserdes ao pobre: Tu, fica aí em pé, ou assenta-te abaixo do meu estrado, Porventura não fizestes distinção entre vós mesmos, e não vos fizestes juízes de maus pensamentos?”
O favoritismo é ...
1. Incoerente com o caráter de Deus. Tiago 2:1 “Meus irmãos, não tenhais a fé de nosso Senhor Jesus Cristo, Senhor da glória, em acepção de pessoas”
Se você quer ser como Jesus, você não pode ter favoritismo. Deus ama todo mundo. Se há um lugar no mundo onde não deve haver qualquer tipo de discriminação, deve ser na igreja. Existe discriminação em todo o mundo, mas há um lugar não importa quem você é ou o que você tem, você é bem-vindo.
2. Inconsistente com os métodos de Deus. Tiago 2:5 “Ouvi, meus amados irmãos: Porventura não escolheu Deus aos pobres deste mundo para serem ricos na fé, e herdeiros do reino que prometeu aos que o amam?”
O favoritismo não é razoável. Isso não faz sentido. Tiago diz que Deus escolheu os pobres. Ele não está dizendo que é bom ser pobre e ruim ser rico. Ele não está dizendo que só os pobres serão salvos. Todo mundo neste lugar é rico em comparação com a maioria do mundo, mas isso não faz a menor diferença para Deus. Você não está contente que Deus não verifica sua carteira antes de salvá-lo? Você não está feliz porque a sua salvação não é baseada em sua conta poupança?
3. Incoerente com as ações das pessoas. Tiago 2:6-7 “Mas vós desonrastes o pobre. Porventura não vos oprimem os ricos, e não vos arrastam aos tribunais?
Porventura não blasfemam eles o bom nome que sobre vós foi invocado?”
Tiago foi escrito numa época em que dos pobres eram cobrados excessivo interesse, mesmo para as necessidades básicas da vida. Era a classe alta que estavam perseguindo os cristãos. Tiago diz: "Por que vocês estão preocupados em impressioná-los. Eles certamente não estão preocupados com impressionante vocês".
Essas mesmas pessoas que eles estavam tentando impressionar estavam tirando sarro de sua fé em Jesus Cristo, mas eles ignoravam isso. Por que eles faziam isso? Porque o favoritismo ignora o pecado, a fim de beneficiar a nível material ou apenas para ser socialmente aceitável.
4. Incoerente com as Escrituras. Tiago 2:8-11 “Todavia, se cumprirdes, conforme a Escritura, a lei real: Amarás a teu próximo como a ti mesmo, bem fazeis. Mas, se fazeis acepção de pessoas, cometeis pecado, e sois redargüidos pela lei como transgressores. Porque qualquer que guardar toda a lei, e tropeçar em um só ponto, tornou-se culpado de todos. Porque aquele que disse: Não cometerás adultério, também disse: Não matarás. Se tu pois não cometeres adultério, mas matares, estás feito transgressor da lei.”
Tiago repete o padrão de Deus nas Escrituras, "Ama o teu próximo como a ti mesmo."
1 João 4:20 “Se alguém diz: Eu amo a Deus, e odeia a seu irmão, é mentiroso. Pois quem não ama a seu irmão, ao qual viu, como pode amar a Deus, a quem não viu?”
O modo como eu me relaciono com você prova o quanto eu amo a Deus. Poucos de nós sabem como amar incondicionalmente. No versículo 9, Tiago diz que não é o tipo de pecado que designa um pecador. Mas, o que viola qualquer mandamento de Deus.
Quantas leis você tem que quebrar para ser um criminoso? Uma. Quantos crimes você precisa cometer para tornar-se um criminoso? Um.

III. O conteúdo

Tiago termina esta seção, mostrando-nos como ver a pessoa verdadeira e evitar essa armadilha de julgar um livro pela capa.
Tiago 2:12-13 “Assim falai, e assim procedei, como devendo ser julgados pela lei da liberdade. Porque o juízo será sem misericórdia sobre aquele que não fez misericórdia; e a misericórdia triunfa do juízo.”
1. Deixe a Bíblia ser seu padrão.
2. Deixe que o amor seja a tua lei.
3. Deixe que a misericórdia seja a sua mensagem.

Conclusão: Como podemos ter uma igreja em crescimento e uma igreja que as pessoas querem voltar? Sermos uma igreja que ama as pessoas. É o amor que atrai as pessoas. Você não discute com pessoas sobre o céu. Você os ama, para o céu.
Como você os ama para o céu?
1. Aceite as pessoas. Não podemos ser uma igreja cheia de esnobes espirituais. Você conhece, o versículo do argueiro no olho do seu irmão quando você tem uma trave no seu. Não devemos amar o pecado, mas devemos amar o pecador.
2. Apreciar as pessoas.
Filipenses 2:3-4 “Nada façais por contenda ou por vanglória, mas por humildade; cada um considere os outros superiores a si mesmo. Não atente cada um para o que é propriamente seu, mas cada qual também para o que é dos outros.”
3. Firmar as pessoas. Dar às pessoas um elevador sempre que puder. Quando as pessoas tropeçar, não criticar, simpatizar. Seja um encorajador, e, não um reclamador.
Você pode incentivar as pessoas apenas sorrindo para elas. Você só tem uma oportunidade de causar uma primeira impressão. Dê um aperto de mão de boas-vindas, com um sorriso.
O que Deus está dizendo em Tiago? A Igreja que aceita, valoriza e firma o povo é a Igreja que Deus abençoa. Absolutamente nada pode parar a igreja que está cheia de amor. E isso não acontece por acaso.
Exige um esforço total de cada um de nós. Todo mundo precisa contribuir para a atmosfera da igreja.
Deixe-me lhe fazer uma pergunta difícil. "Será que as pessoas voltam a igreja por causa de você?" Juntos temos que fazer um compromisso de que esta igreja receberá as pessoas incondicionalmente. Nós não esperamos que as pessoas se comportem como crentes até que se tornem crentes. Quero que nossa igreja tem uma reputação de amor. Nada pode parar uma igreja amorosa. Talvez você seja um convidado ou se esta for sua primeira vez. És tão bem-vindo como um dos membros fundador desta igreja.
Não importa o que você veste ou o seu estatuto econômico, ou se você foi casado uma vez, ou se nunca se casou, ou se foi casado dez vezes. Não importa se você discordar de mim na interpretação da segunda vinda de Cristo.
Você é bem-vindo aqui. Não importa qual a cor da raça que você é. Jesus Cristo rompe todas as barreiras. Somos todos iguais aos olhos de Deus. Deus quer conhecê-Lo.

Pr. Aldenir Araújo

domingo, 28 de julho de 2013

Uma Chuva Crescente



Louvando a Deus, e caindo na graça de todo o povo. E todos os dias acrescentava o Senhor à igreja aqueles que se haviam de salvar. 
Atos 2.47
Introdução:

O crescimento da igreja é algo anelado por todos nós. Ver a sua igreja crescer é um profundo desejo dos seus membros.
Mas, surge a pergunta: O que fazer para que a igreja cresça? Onde eu me enquadro para ser participante ativo desse crescimento? Qual a minha função no corpo de Cristo?
Quais são as marcas de uma igreja que cresce?


I. UMA IGREJA QUE CRESCE É UMA IGREJA QUE ORA.
A oração é a chave para o crescimento da igreja.

Esta igreja ora quando vem a perseguição (At 4.23,24).

"Uma vez soltos (Pedro e João), procuraram os irmãos e lhes contaram quantas coisas lhes haviam dito os principais sacerdotes e os anciãos. Ouvindo isto, unânimes, levantaram a voz a Deus e disseram: Tu, soberano Senhor, que fizeste o céu, a terra, o mar e tudo que neles há." Atos 4.23-24

Esta igreja ora para que Deus conceda ousadia para pregar o evangelho (At 4.29).

"Agora, Senhor, olha para as suas ameaças, e concede aos teus servos que anunciem com toda a intrepidez a tua palavra." Atos 4.29

Esta igreja ora no poder do Espírito Santo (At 4.31).

"Tendo eles orado, tremeu o lugar onde estavam reunidos; todos ficaram cheios do Espírito Santo e, com intrepidez, anunciavam a palavra de Deus." Atos 4.31

II. UMA IGREJA QUE CRESCE É AQUELA QUE TEM UMA LIDERANÇA MADURA E EFICIENTE

Tem uma liderança escolhida por Deus. (At 6.6; 13.2-4)
Tem uma liderança que sabe o que fazer e para onde vai (At 5.1-11).
Tem uma liderança cheia do Espírito ((At 6.3).

"Escolhei dentre vós sete homens de boa reputação, cheios do Espírito e de sabedoria..." Atos 6.3


III. UMA IGREJA QUE CRESCE É UMA IGREJA VISIONÁRIA

Visão missionária (At 8.4,14,25). Tem preocupação em alcançar os não-alcançados (Rm 15.20).

Visão social (At 4.34-37). A igreja primitiva era uma igreja profundamente sensibilizada com as necessidades de seus membros.

Visão orgânica (1 Co 12.12-27). Eles viviam como um corpo. Sabiam suas funções nesse corpo e as desempenhavam em sujeição e submissão uns aos outros.



IV. UMA IGREJA QUE CRESCE É AQUELA ONDE OS DONS ESPIRITUAIS SÃO EXERCIDOS LIVREMENTE

Existem oito listas de dons espirituais no Novo Testamento, com um total de cerca de 27 dons. A Bíblia não diz que estes são todos. Com certeza existem muito mais dons do Espírito. Eis alguns: Palavra da Sabedoria, Palavra do conhecimento, Discernimento de Espírito, Fé, Curas, Milagres, Exorcismo, Línguas, Profecia, Interpretação, Ensino, Exortação, Serviço, Hospitalidade, Contribuição, Misericórdia, Pastor, Administração, Liderança, Socorro, e muitos outros.
Vemos todos estes dons sendo manifestados na igreja primitiva (At 4.30; 3.2-9; 2.4; 4.36,37; 6.4).


CONCLUSÃO

Esta igreja é uma igreja que ora? É uma igreja que tem uma liderança madura e cheia do Espírito? É uma igreja que tem visão? É uma igreja onde os dons espirituais são livremente exercidos para sua edificação?


Autor: Pr Iranildo dos Santos Tomé

quinta-feira, 18 de julho de 2013

O Que é a 'Sombra do Onipotente'?

Salmo 91:1 diz: “O que habita no esconderijo do Altíssimo e descansa à sombra do Onipotente diz ao SENHOR: Meu refúgio e meu baluarte, Deus meu, em quem confio.”

Antes de comentar sobre este texto, consideremos os significados bíblicos da palavra sombra.

1. Sombra literal. Às vezes, o sentido é literal – a luz é bloqueada ou a escuridão resulta da ausência de luz (2 Reis 20:9-11; Neemias 13:19; Atos 5:15). A sombra traz alívio do calor do sol (Jó 7:2; cf. Isaías 34:15; Marcos 4:32).

2. Símbolo da brevidade. Davi falou da brevidade da vida terrestre do homem: “Como a sombra são os nossos dias sobre a terra, e não temos permanência” (1 Crônicas 29:15). “O homem é como um sopro; os seus dias, como a sombra que passa” (Salmo 144:4). Bildade disse: “Porquanto nossos dias sobre a terra são como a sombra” (Jó 8:9).

3. Símbolo da morte, do perigo ou das coisas tenebrosas. Jó falou sobre “a terra das trevas e da sombra da morte ...onde a própria luz é tenebrosa” (10:21-22). Davi falou do “vale da sombra da morte” (Salmo 23:4; cf. 102:11; 109:22-23; Jeremias 2:6; 13:16).

4. Símbolo de proteção e refúgio. Jotão falou, embora em tom de ironia devido à presunção de Abimeleque, da proteção que um rei oferece aos seus súditos (Juízes 9:15). Os judeus procuravam, em vão, refúgio na “sombra do Egito” (Isaías 30:2-3). O rei Nabucodonosor foi comparado a uma árvore dando sombra e proteção (Daniel 4:12). A idéia da sombra de proteção vem do alívio e proteção do calor citado acima (cf. Jonas 4:5-6; Isaías 25:4-5).

5. Símbolo da ignorância espiritual. Mateus citou a profecia de Isaías 9:2 quando falou da pregação de Jesus (4:16). Zacarias citou a mesma profecia quando falou do trabalho de seu filho como precursor do Messias (Lucas 1:79).

Uma imagem imperfeita de uma realidade maior. Paulo disse que as coisas do Velho Testamento eram sombra das coisas de Cristo (Colossenses 2:17; cf. Hebreus 10:1). O tabernáculo dos israelitas era uma sombra da aliança de Jesus (Hebreus 8:5-13; cf. 9:23).

Várias vezes, a Bíblia fala sobre a sombra de Deus. Em qual desses sentidos devemos entender a sombra do Senhor? Textos como Salmo 57:1 deixam claro o sentido de proteção oferecida aos homens: “Tem misericórdia de mim, ó Deus,... pois em ti a minha alma se refugia; à sombra das tuas asas me abrigo, até que passem as calamidades.” Veja Salmos 36:7; 63:7; 121:5; Isaías 4:5-6; 32:1-2; 51:16. A sombra do Onipotente é a proteção daquele que estende o seu tabernáculo de proteção sobre os fiéis (Apocalipse 7:15-17).

O Ocultismo Não Vem de Deus

  
         Atenção senhores prognosticadores que fazem suas previsões futurísticas, vejam o que Deus em Sua Palavra diz a respeito de vocês, e como Ele vai cobrar um dia todo esse engano de quem se faz passar por profeta dEle.

PORQUE DEUS PROÍBE ESSAS PRÁTICAS



         As leis de Deus são veementemente contra o ocultismo. Invocar o poder dos espíritos viola o primeiro mandamento para não adorar outros deuses. Portanto, isso é uma rebelião contra Deus e sua autoridade. Isso, na verdade, significa juntar-se a Satanás e não a Deus.
  Manassés foi um péssimo rei de Israel e provocou a ira de Deus com seus pecados. Dentre suas transgressões estão práticas ocultistas - feitiçaria, adivinhação e consulta a médiuns e agoureiros. Estes atos estão estritamente proibidos por Deus porque demonstram falta de fé nEle, envolvem atos pecaminosos e abrem a porta para influências demoníacas. Em nossos dias muitos livros, programas de televisão e jogos enfatizam a adivinhação, sessões espíritas e outras práticas ocultistas. Ninguém deve deixar o desejo de conhecer o futuro ou a crença de que a superstição é inofensiva levá-lo a praticar o ocultismo. Estas são imitações do poder de Deus e têm como origem um sistema de crenças totalmente oposto a Ele.
         A antiga cidade de Éfeso era um centro de magia negra e outras práticas ocultas. As pessoas forjavam fórmulas mágicas para alcançar riqueza, felicidade e sucesso no casamento. A superstição e a feitiçaria eram comuns naquela sociedade, mas Deus proíbe claramente tais práticas. Você não pode ser um cristão e fazer uso da magia negra, do ocultismo ou da feitiçaria. Uma vez envolvido nestas práticas, é extremamente fácil tornar-se obcecado por elas, porque Satanás tem muito poder. Mas o poder de Deus é infinitamente maior. Então, se você está envolvido com o ocultismo, livre-se de qualquer coisa que possa mantê-lo preso a tais práticas.

O OCULTISMO PROMOVE A FALSIDADE, NÃO A VERDADE

         Qualquer pessoa se interessa pelo futuro e frequentemente confia em outros para obter orientação. Entretanto, Deus alerta contra buscar direção no ocultismo. No antigo Israel os médiuns e videntes foram banidos porque Deus não era a fonte de suas informações. Todos os que praticam o ocultismo são impostores em cujas predições não se deve confiar. Eles mantém contato com demônios e são extremamente perigosos. Nenhum de nós precisa buscar no ocultismo informações sobre o futuro, pois Deus nos concedeu a Bíblia com todas as informações necessárias - e totalmente confiáveis.
         Os israelitas eram curiosos sobre as práticas ocultas cananitas. Mas Satanás está por trás do ocultismo, por isso Deus proibiu expressamente que Israel tivesse qualquer contato com tais religiões. Hoje, as pessoas ainda são fascinadas por horóscopos, adivinhações, bruxarias e cultos bizarros. Costumam ser motivadas pelo desejo de conhecer e controlar o futuro. Deus já nos revelou tudo o que está para acontecer. A informação oferecida por Satanás quando não é distorcida, é completamente falsa. Com a direção confiável do Espírito Santo e da Palavra de Deus, não precisamos buscar falsas informações no ocultismo.
         Concluímos com o seguinte aviso de Deus aos ocultistas:
"Quando vos disserem: Consultai os que têm espíritos familiarese os adivinhos, que chilreiam e murmuram entre dentes; - não recorrerá um povo ao seu Deus? A favor dos vivos interrogar-se-ão os mortos? À lei e ao testemunho! Se eles não falarem segundo esta palavra, nunca verão a alva". (Isaías 8.19,20).


Autor: Adail Campelo 

sexta-feira, 12 de julho de 2013

Libertação de Cativeiros Espirituais


Definição: São locais espirituais onde demônios aprisionam fragmentos de nossa alma, impedindo que o sucesso nos alcance em várias áreas, tanto do corpo, quanto da alma ou do espírito.


1. Yeshuw’ah (chamado de JESUS) veio para libertar os cativos de cativeiros espirituais:

- Em Efésios 4.8, ele mostrou seu poder destruir cativeiros e dar dons aos homens.
- “Quando ele subiu as alturas, levou cativo o cativeiro e deu dons aos homens”
- Em Lucas 4.17-19 ele disse que o Espírito Santo o ungiu para libertar cativos.
- “Então, lhe deram o livro do profeta Isaías, e, abrindo o livro, achou o lugar onde estava escrito: O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, e apregoar o ano aceitável do Senhor.”
- Em Lucas 13.16, Yeshuw’ah cura uma mulher encurvada, Filha de Abraão, que estava cativa há 18 anos.
- “Por que motivo não se devia livrar deste cativeiro, em dia de sábado, esta filha de Abraão, a quem Satanás trazia presa há dezoito anos?”

2. Laços da morte, levam a alma ferida ao cativeiro:

Você já ouviu falar de “coração partido?”. Existem situações que quebrantam nossa alma de maneira tão cruel, que permite demônios se aproximarem de nós, e levarem nossa alma aos cativeiros!

- 2 Timóteo 2.26, existem pessoas que estão cativas por laços feitos pelo diabo para cumprir a sua vontade.
- “...mas também o retorno à sensatez, livrando-se eles dos laços do diabo, tendo sido feitos cativos por ele para cumprirem a sua vontade.”

- Salmo 116.3 e 4, Davi viu estes laços se aproximando dele.
- “Laços de morte me cercaram, e angústias do inferno se apoderaram de mim; caí em tribulação e tristeza. Então, invoquei o nome do SENHOR: ó SENHOR, livra-me a alma.”
- Salmo 18.3 a 6, Davi fala novamente destes laços!
- “Invoco o SENHOR, digno de ser louvado, e serei salvo dos meus inimigos. Laços de morte me cercaram, torrentes de impiedade me impuseram terror. Cadeias infernais me cingiram, e tramas de morte me surpreenderam. Na minha angústia, invoquei o SENHOR, gritei por socorro ao meu Deus. Ele do seu templo ouviu a minha voz, e o meu clamor lhe penetrou os ouvidos.”
 
UMA PESSOA EM CATIVEIRO TEM DIFICULDADE DE ROMPER EM ÁREAS DISTINTAS DA VIDA
sentimental – financeira – emocional – ministerial – relacionamentos – saúde - sexual

a) Lugares de escuridão e trevas:
- Jó 10.22 – Terra de profunda escuridão, da sombra da morte e do caos, onde a própria luz é trevas.
- Jó 37.19 - Ensina-nos o que diremos, pois não conseguimos por em ordem as idéias, por causa das trevas.
- Sl 107.10-12 - 10 Os que se assentaram nas trevas e nas sombras da morte, presos em aflição e em ferros, por se terem rebelado contra a palavra de Deus e haverem desprezado o conselho do Altíssimo, de modo que lhes abateu com trabalhos o coração—caíram, e não houve quem os socorresse.

b) Poços de lama e perdição:

3. Diversos cativeiros encontrados na Bíblia:

- Jó 40.1-3 – Esperei com paciência no Senhor, ele se inclinou para mim e ouviu o meu clamor, tirou-me de um poço de perdição, tremedal de lama, colocou os meus pés sobre uma rocha, firmou os meus passos, e pôs nos meus lábios um novo cântico, um hino de louvor ano nosso Deus.
- Elias entrou em um desses quando foi afrontado por Jezabel.
- Eu entrei em um desses, quando fui afrontado em Sobradinho (e me vi literalmente em sonho)

c) Lugar de chacais:

 Sl 44.18,19 – Não tornou atrás o nosso coração, nem se desviaram nossos passos dos teus caminhos, para nos esmagares (quebrantares) no lugar dos chacais, nos envolveres com a sombra da morte.

d) Cativeiro de profundeza de águas:

 Sl 69.1-3 - Salva-me, ó Deus, porque as águas me sobem até à alma. Estou atolado em profundo lamaçal, que não dá pé; estou nas profundezas das águas, e a corrente me submerge. Estou cansado de clamar, secou-se-me a garganta; os meus olhos desfalecem de tanto esperar por meu Deus.

e) Terra do esquecimento:

Sl 88.12 - Acaso, nas trevas se manifestam as tuas maravilhas? E a tua justiça, na terra do esquecimento?
- A pessoa amada não te encontra.
- Seu chefe não te percebe no trabalho.
- Seus pais não te percebem dentro de casa
- Você não é percebido no ministério.

f) Cova da corrupção:

Isaías 38.17 - Eis que, para minha paz, eu estive em grande amargura; tu, porém, tão amorosamente abraçaste a minha alma, que não caiu na cova da corrupção, porque lançaste para trás das tuas costas todos os meus pecados.

- Amargura na paz.
- Vazio no coração.
- Tristeza.
- Angústia.

5. Situações que corrompem a alma, e atrai os laços do cativeiro:

- Consciência de pecado não confessado.
- Juras e promessas.
- Laços de alma.
- Fim de namoro ou noivado.
- Ocultismo e pactos espirituais.
- Drogas e alcoolismo.
- Maldicões ouvidas.
- Orgulho.
- Mágoa.
- Trauma.
- Palavra de afronta (Elias foi levado a um cativeiro de morte e deserto)

6. Nossa alma sinaliza os cativeiros através de sonhos:

1. (em DF) Sonhou com uma mulher em cima de um terraço, chamando os demônios (orgulho, ódio, vingança, medo...). Apareceram crianças saindo do chão. Um deles se identificou como “brincalhão”. Depois apareceu outro, e o brincalhão disse que o nome deste é: “Medo da escuridão”

2.(em DF) Sonhou que estava nu, e uma mulher nua tentava fazer sexo com ele. Ele relutava, mas ela insistia. No final, esta mulher conseguiu mexer com o coração dele, mas no momento certo um irmão em Cristo apareceu, e o tirou daquela situação.

3.(em DF) Sonhou (pastora) na noite anterior a ministração (sem saber do que eu falaria), que estava andando com dores fortes nas costas, e andava encurvada... ela queria alcançar um objetivo, mas estava encurvada. Quando acordou, estava sentindo forte dor nas costas.

4.(em DF) Sonhou que havia um demônio de prostituição chamado Incubus Sucubus tentando fazer relação sexual com muitos jovens da igreja (e alguns que desviaram). Ele e uma outra jovem relutavam, mas o demônio dizia: Pode vir fazer, não terá problema nenhum. Quando se posicionou decidido a resistir ao diabo, conseguiu sair daquela situação.

5. (em GO) Sonhou que estava dentro de um caixão, acorrentada, e esfaqueada pelos pastores.

6. (no RJ) Sonha constantemente que está no meio de fezes.

7. (no RJ) Sonha constantemente que está nu.

8. Sonha constantemente que conversa com alguém que já não faz mais parte de sua vida (laço de alma)

A GARANTIA DA LIBERTAÇÃO:

33 Assim diz o SENHOR dos Exércitos: Os filhos de Israel e os filhos de Judá foram oprimidos juntamente; todos os que os levaram cativos os retiveram e não os quiseram soltar. 34 Mas o seu Redentor é forte, o SENHOR dos Exércitos é o seu nome; certamente, pleiteará a causa deles, para dar descanso à terra e inquietar os moradores da Babilônia. Jeremias 50.33-34

E meu povo habitará em morada de paz, e em habitações seguras, e em recessos de repouso. Isaías 32:18

Quando alguém é totalmente liberto do cativeiro, torna-se apto a receber manifestações profundas do poder de Deus!

“Por isso, diz: Quando ele subiu às alturas, levou cativo o cativeiro e concedeu dons aos homens.” Efésios 4:8

Autor: Pr. Ricardo Ribeiro

quarta-feira, 10 de julho de 2013

Louvor e Adoração - A Origem Bíblica das Palavras



Normalmente não fazemos muita distinção entre louvar e adorar a Deus. Para nós essas palavras têm o mesmo sentido.

Mas observando a maneira como são empregadas na Palavra de Deus, podemos perceber que muitas vezes são empregadas ao mesmo tempo: Louvai e adorai ao Senhor, louve e exalte o seu santo nome....

Isso é porque nos textos originais são palavras diferentes que expressam significados que são muito importantes para nós.

As palavras para louvor vêm do hebraico hãlal, que significa fazer ruído, yãdhâ que está associada às ações e gestos corporais que acompanham o louvor e, zãmar, que é associada à música tocada e cantada. No Novo Testamento a palavra grega eucharistein que significa agradecer é mais utilizada que a palavra eulogein "bendizer".

Facilmente se percebe que a louvor está muito associado a oferta, aquilo que entregamos a Deus.

Se cantamos, tocamos, dançamos, aplaudimos, estamos louvando. A Bíblia diz que toda a natureza louva a Deus. Pois demonstra o Seu poder, criatividade, soberania.
Salmos 65:13 - Os campos se vestem de rebanhos, e os vales se cobrem de trigo; eles se regozijam e cantam.

Salmos 69:34 - Louvem-no os céus e a terra, os mares e tudo quanto neles se move.

Salmos 98:8 - Os rios batam as palmas; regozijem-se também as montanhas

Isaías 44:23 - Cantai alegres, vós, ó céus, porque o SENHOR o fez; exultai vós, as partes mais baixas da terra; vós, montes, retumbai com júbilo; também vós, bosques, e todas as suas árvores; porque o SENHOR remiu a Jacó, e glorificou-se em Israel.


O simples fato de existirmos já louva a Deus.

Já a palavra hebraica para adoração é abhôdhâ e o grego latreia, ambos significam servir com temor reverente, admiração e respeito.

Este vocábulo grego latreia origina palavras como idolatria: a qual vemos bastante por aí, sejam as romarias católicas ou as caravanas para assistir shows de rock, onde pessoas viajam quilômetros para ver seus ídolos, compram tudo o que tenha sua imagem, fazem de tudo para se identificarem com ele.

Isso serve para nós pensarmos:

A idolatria só produz a degradação e a diminuição da dignidade do adorador, mas estes se entregam de corpo e alma.

A verdadeira adoração restaura o caráter do adorador, pois é para isso que fomos criados, para servir ao Deus verdadeiro ao qual fomos criados imagem e semelhança.

Adorar a Deus é serví-lo com devoção, admiração, zelo, enfim é a intenção e a motivação, com que a oferta é feita.

Face a tudo isto é perfeitamente possível que eu esteja louvando a Deus sem adorá-lo.

O Pai procura verdadeiros adoradores que o adorem em espírito e em verdade (Jo 4:23). Na busca de Deus por adoradores, como Ele está se deparando diante de você?

Deixe que Ele encontre em seu coração o espírito devoto e sincero de um verdadeiro adorador!

Autor: André Paganelli

sexta-feira, 5 de julho de 2013

Vivendo o Meu Maior Sonho


 Confia no SENHOR e faze o bem; habitarás na terra, e verdadeiramente serás alimentado. Deleita-te também no SENHOR, e te concederá os desejos do teu coração. Entrega o teu caminho ao SENHOR; confia nele, e ele o fará. E ele fará sobressair a tua justiça como a luz, e o teu juízo como o meio-dia.' Salmo 37:3 a 6

1) Introdução

Existem coisas que ainda nossas mentes não conseguem compreender, pois sabemos que o homem consegue utilizar somente 6% de sua capacidade mental e ainda dizem por aí que “existe mais coisas entre os céus e a terra do que possa imaginar nossa vã filosofia”.

Mas mesmo assim quero lhe escreve sobre um assunto polêmico, mas gostoso, complexo, mas simples. Quero falar sobre algo que tem várias exposições nos relatos bíblicos, O SONHO. O sonho ou os sonhos tem perturbado muitas pessoas, e neste contexto quero abordar dois tipos de sonho, o sonho que sonhamos acordados e sonhos que sonhamos dormindo.

Sei que todo ser humano tem sonhos, e falo agora de desejos e projetos que criamos ao longo de nossas necessidades, e passamos a sonhá-los todos os dias e chegamos a vê-los quando estamos em repouso. Dizem que sonhar não custa nada, e isso é uma grande verdade. Também dizem que sonhar faz bem, e isso é outra grande verdade. Não estou me referindo aos pesadelos, independentemente deles ocorrerem em repouso ou acordado, mas estou me referindo a sonhos.

Sei que todos meus amados amigos leitores conjecturam sonhos em seus humildes corações, sei que agora mesmo um sonho está lhe incomodando o espírito, mas quero lhe dizer uma coisa, seus sonhos podem se realizar há uma chance para seus sonhos, porém teremos que ler esta mensagem. Abra seu coração e que Deus te abençoe neste momento e que seus sonhos sejam seu combustível.

O sonho é uma experiência que possui significados distintos se for visto em um debate que envolva religião, ciência e cultura. Para a ciência, é uma experiência de imaginação do inconsciente durante nosso período de sono. Em diversas tradições culturais e religiosas, o sonho aparece revestido de poderes premonitórios ou até mesmo de uma expansão da consciência.
   

2) Os Tipos de Sonhos

Para que possamos entender melhor o final desta mais nova mensagem quero lhes dizer que existem dois tipos de sonhos, um é resultado de manifestações instintiva ou do mecanismo inconsciente que revive lembranças de fatos ocorridos no dia a dia, e são mais comuns quando ainda estamos no sono leve. Este tem pouca importância em nossa vida de sonho. O outro tipo de sonho exerce grande influencia em nossas vidas, preste atenção.

Entenda que quando dormimos apenas nosso corpo físico repousa, mas o espírito que é o fôlego da vida não dorme uma vez que é eterno, pois o homem é um ser tricótomo (corpo, alma e espírito). Quando estamos acordados as necessidades do corpo tomam toda atenção e trabalhamos o dia todo para supri-las, mas quando em repouso já o corpo não requer necessidades e então o espírito pode se manifestar.

Dentro de cada um de nós há uma batalha um tanto covarde, onde a alma (consciência) e a carne (corpo físico) militam contra o espírito, e quando chamamos uma pessoa de “pobre de espírito” estamos dizendo que ela não o tem alimentado, e se o corpo precisa ser alimentado, com certeza o espírito também. Assim um espírito sadio pode com maior evidência se manifestar em cada um de nós. Lembre-se que Deus procura verdadeiros adoradores que o adore em espírito e em verdade (Jo 4:23).

Mas ainda há de se levar em consideração que o espírito não possui aparelho fonador, então para que nós possamos entender que ele quer paz, ele pode nos mostrar em sonhos uma praia, mas se ele está atribulado pode manifestar isso em outro tipo de sonho, e ainda se quer nos avisar que corremos perigo, pode nos fazer sonhar com um acidente. Isso não é premonição, mas a comunicação interna de um ser tricótomo. Assim ao acordarmos nossa alma que é a consciência, começa a fazer julgamentos para que o corpo tenha livramento.

3) O Que São os Sonhos Para a Ciência?

O que vem a ser o Sonho de acordo com Freud, o pai da psicanálise

Foi em 1901, com a publicação de “A Interpretação dos Sonhos”, que Sigmund Freud deu um caráter científico à matéria. Naquele polêmico livro, Freud aproveita o que já havia sido publicado anteriormente e faz investidas completamente novas, definindo o conteúdo do sonho como “realização dos desejos”.

O que vem a ser o sonho aos olhos da psicológia

Os sonhos seriam uma demonstração da realidade do inconsciente. Sendo estudados corretamente pode-se descrever, ou melhor, conhecer o momento psicológico do indivíduo. Fazendo uma analogia, poderiamos pensar numa especie de "fotografia" do inconsciente naquele momento. Por isso, o sonho sempre demonstra aspectos da vida emocional. Os sonhos têm uma linguagem própria. Pensemos no seguinte exemplo: Ao ver duas pessoas estrangeiras que falam um idioma que não é do nosso conhecimento, nunca diriamos que elas não sabem falar. Na verdade, o problema é que não conhecemos aquela língua. O mesmo acontece com os sonhos. Sua linguagem são os símbolos. Para entender seus variados conteúdos, temos que estudar os símbolos. 

A psicóloga ainda afirma que podemos tirar proveito dos sonhos, analisando os sentimentos e sensações obtidas, pois, segundo ela, os sonhos ajudam a pessoa a entrar em contato com ela mesma. “Os conteúdos dos sonhos, as lembranças, podem trazer dicas para as pessoas”, explica.

4) Sonhando Acordado

Estudos divulgados constataram que o cérebro tira benefícios dos sonhos, sejam eles bons ou ruins. Segundo registro do povo Judeu, acredita-se que o profeta Samuel tinha sonhos e quando seus sonhos eram ruins, ele dizia: “Os sonhos não são verdades”. Porém quando eram bons sonhos sua frase era: “Verdadeiramente os sonhos são verdades”.

Mas analisando a bíblia eu chego à conclusão que quem realmente tira benefícios do sonho, não é só o celebro, mas especialmente o corpo. Venha comigo e então conheceremos no contexto bíblico algumas das muitas pessoas que sonharam acordadas e que tiveram benefícios extraídos dos sonhos. É mesmo uma pena, pois se relatássemos todos, certamente está mensagem teria muitas e muitas páginas. E através desses sonhos iremos aprender que sonhar vale a pena.

1 - Sonhar Preserva a Vida – O sonho de Josué e Calebe

Certo dia quando Deus manda que Moisés envie doze homens para espiar a terra prometida para que voltem e contem ao povo as maravilhas lá existentes e alguns obstáculos que também estavam lá, eles partem trazendo de volta grandes furtos, e entre eles um cacho de uva que era carregado por dois homens. Entre os espias estava dois homens que ao contrário dos demais tentaram animar o povo a subir e tomar a terra, seus nomes, Josué e Calebe.

Toda a geração de homens entre eles aqueles que foram espiar a terra morreram no deserto, exceto eles dois, pois eles tinham um sonho, o de possuírem a promessa de Deus, a nova Canaã, uma terra que mana leite e mel, lugar de fartura.

Existe uma nova Canaã para você também meu irmão leitor, mas não desanime, sonhe o seu sonho acordado como fez Josué e Calebe. Agora veja o que a atitude de sonhar traz para sua vida.
                       

2 - Sonhar Traz Livramento – José e seus livramentos

Havia um jovem entre os filhos de Jacó, também conhecido como o sonhador, na verdade seus sonhos eram de um dia ser alguém importante, de ser alguém reconhecido por seus feitos, seu nome era José. Porém um dia seus irmãos planejaram matá-lo, mas quem sonha acordado não morre assim um livramento e então o venderam para uma caravana de Ismaelitas, que o venderam para um rico chamado Potifar, mas as esposa de Potifar tentar seduzir um homem justo e fiel, não só a Deus, mas também a seu sonho. Ele vai para a prisão, mas novamente recebe livramento, saindo de lá vai interpretar o sonho do Faraó, e assim Deus o tira da prisão e o coloca como o segundo homem do Egito.

Comece a sonhar seus sonhos agora, não tenha medo de quão grandes eles sejam, pois há um Deus muito maior do que qualquer sonho que te dará livramento em qualquer hora de sua vida.

3 - Sonhar Nos Faz Nobre – O sonho de Jabes em ser nobre

Entre os sonhadores da bíblia também encontrei um homem chamado Jabes. Ele já virou até música, mas mesmo cm uma passagem tão pequena no contexto bíblico ele nos deixou grandes lições, e uma delas é que o sonhar acordado enobrece o homem, pois veja bem, a história nos relata que sua mãe teve um parto cheio de dor, e com certeza sua gravidez também não foi fácil, então quando aquele menino nasce ela lhe dá um nome que foi um peso na vida dele, ela o chama de Jabes, que significa “Dor”, mas ele sonhava ser um homem respeitado e reconhecido na sociedade que vivia, ele sonha isso todos os dias, até que um dia ele se coloca na presença de Deus e faz uma oração muito simples, “Abençoa-me Senhor”. Isso nos mostra quem realmente pode nos abençoar. E ele se tornou o mais ilustre entre seus irmãos e ficou para a história.

Isso também pode acontecer com cada um de nós agora mesmo, pois a bíblia diz que fomos chamados para sermos cabeça e não cauda. Viva seus sonhos e assim desfrutará da nobreza que o Senhor tem para você.

4 - Sonhar Traz a Justiça de Deus – O sonho de Mardoqueu

Essa história é também fantástica, assim como todas as outras. Relata-nos as Sagradas Escrituras, que um homem chamado Mardoqueu, que vivia na eira de Suzan, na Pérsia, tinha o sonho de ver sua prima, a qual ele mesmo criou, assentada no trono ao lado do rei Assuero, e quando conseguiu viu um homem se levantar para matá-lo, pois certo este Mardoqueu salvou a vida do rei e passou a ser um querido amigo do rei, mas Hamã não desistiria de tentar matar o sonhador.

Hamã que também era um endemoniado, que chegou a construir uma forca nova só para matar Mardoqueu, é bem verdade que um sonhador incomoda os outros. Hamã trama seu plano, mas o que voga mesmo são os planos de Deus. A história continua e após o fracasso de Hamã em matar os Judeus, o rei Assuero manda matar Hamã na forca que ele mesmo construiu para Mardoqueu.

Saiba que a justiça de Deus vai se manifestar em sua vida, seus inimigos podem esperar, mas não os odeie, a justiça de Deus vem a tempo de Deus, mas que ela vai chegar isso vai.

5 - Sonhar Traz Prosperidade – Davi sonhou construir a casa de Deus

Certo dia um homem nobre de coração sincero e também conhecido como “O homem segundo o coração de Deus”, estava em sua casa nova, seu nome O rei David, e ele tem um sonho acordado, o de construir uma casa para Aron Hacodesh, a Arca Sagrada, que significava a Presença de Deus no meio do povo, assim para construir este local santo e magnífico ele precisaria de recursos e Deus o enriquece.

Agora veja que David era um simples pastor de ovelhas que nem suas eram,mas de seu pai Jessé, e que enquanto seus irmãos eram soldados do exército de Israel, ele, Davi era um rapaz que cheirava esterco. Mas o sonho que ardia em seu coração também era o sonho de Deus e note que no final de sua vida ele diz que de seu próprio tesouro ele daria para a construção da Casa de Deus, 130.000 Kilos de ouro, ou seja, 130 toneladas de ouro, e mais 280.000 Kilos de prata, ou seja, 280 toneladas de prata, tudo da melhor qualidade (I Crônicas, 29:1 a 5).

Viva e busque seus mais lindos sonhos, pois a busca racional de cada sonho te levará a uma vida próspera. Deus tem riquezas para cada um de nós, mas precisamos nos levantar e buscar realizar nossos sonhos.

6 - Sonhar Traz Presentes – O sonho de Ana era Samuel

Se tratando de sonho temos no capítulo primeiro do livro do profeta Samuel uma das histórias mais lindas sobre um sonho. Ana tinha um sonho, o de ser mãe, gerar um filho em seu ventre que fosse de seu amado marido Elcana, mas ao invés disso ela era humilhada por sua rival, uma mulher chamada Penina. Todos os dias Ana chorava, pois Penina a insultava e além de tudo ela ainda tinha que ver os filhos de Penina correrem pela casa, mas ela nunca deixou de sonhar com um filho, um filho que fosse realmente seu, um filho que fosse um presente de Deus.

Então Ana de tanto sonhar acordada, um dia entra no santuário e Deus fala com ela e no próximo ano ela vem trazendo em seus braços uma criança, um menino chamado Shamuel, que traduzido é “presente de Deus”. Por isso eu te digo sonhe meu amigo sonhe, ainda há nas mãos de Deus infinitos presentes para nós.
       

7 - Sonhar Realiza a Vontade de Deus

Ninguém é maior sonhador do que o próprio Deus, Ele é sem dúvidas sempre nos surpreenderá com seus sonhos, mas eu quero me referir a um sonho que Deus ousou sonhar lá no céu, quando a bíblia diz que ouve meia hora de silencia no céu, creio que foi nesse momento que Ele sonhou.

Após a queda de Lúcifer e seus seguidores, um silêncio toma conta do céu e penso que antes de ser expulso de lá, o agora satanás disse para Jeová que Ele nunca encontraria alguém que o adorasse de verdade, e se porventura encontrasse, esta adoração nunca seria igual a que ele realizou no céu.

Assim em meio ao silêncio Deus desce a terra e cria o homem, mas satanás faz com que esta criação de Deus peque e pensa ter frustrado o sonho de Deus, mas satanás não sabia que Deus não queria somente Adão e Eva, seu sonho era infinitamente maior, e Deus toma a maior das atitudes em favor de seu sonho, pois o sonho de Deus era ter um grandíssimo povo que o adorasse em espírito e em verdade e que estivesse ao seu lado por toda a eternidade.

Como o homem estava condenado, ou seja, como o sonho de Deus estava condenado a perecer, Ele envia a redenção para seu sonho, e tudo isso se resume em um simples versículo, veja:

João 3.16
'Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna.' João 3.16

Agora eu vou decodificar este versículo de acordo com o contexto desta mensagem, e quero que guarde em seu coração.

João – 3: 16
"Porque Deus SONHOU um grande sonho de ter uma grande nação que o adorasse em verdade, e de tal maneira que Ele pagou um alto preço dando o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê, confiar e entregar sua vida, não pereça, mas venha morar no céu junto com Ele eternamente, realizando assim o Seu sonho.'

Amar é desejar, e desejar é sonhar, e Deus deseja que eu e você estejamos com ele para sempre, por isso quero dizer uma coisa, ou melhor quero que guardem uma frase, uma frase que com certeza já foi pronunciada por alguém, entre em seu coração e mude sua vida.

“Sonhe, ouse sonhar, porque você nunca irá além de seu sonho. Sonhe, ouse sonhar porque você só chegará até aonde seu sonho te levar”. 
 

5) Conclusão

Faltaria me tempo para ainda discorrer sobre a mulher que sonhava com a cura de uma hemorragia a doze anos, ou um rico centurião que sonhava com a cura de seu servo, e o que dizer de Naamã, um general Sírio que sonhava com a cura da lepra, e mesmo a velha Débora, que com 90 anos sonha com a vitória de Israel, e ainda tantos outros que sonhavam e ainda sonham.

Vamos! Levantemos agora em busca dos sonhos perdidos e esquecidos, lembremos que temos um Deus que é um sonhador e que realiza sonhos de todos que nele confiar e esperar. Todos os sonhadores da bíblia tiveram uma coisa em comum. Primeiro sonharam os sonhos de Deus e depois colocaram seus próprios sonhos aos pés do Senhor que raliza sonhos. Saiba de uma coisa, todos os sonhos que não estão colocados aos pés do Senhor, está sujeito ao fracasso.

Acredite. Quando preguei esta mensagem na igreja, foi um mover!
   
Autor: Pr. Alexandre Augusto

quinta-feira, 4 de julho de 2013

A bênção dos bons hábitos


E, saindo, foi, como de costume, para o monte das Oliveiras; e os discípulos o acompanharam. Chegando ao lugar escolhido, Jesus lhes disse: Orai, para que não entreis em tentação. Ele, por sua vez, se afastou, cerca de um tiro de pedra, e, de joelhos, orava, dizendo: Pai, se queres, passa de mim este cálice; contudo, não se faça a minha vontade, e sim a tua” (Lc 22.39-42).

Em uma época na qual o valor da disciplina espiritual não está em alta entre os cristãos, pode ser encorajador e útil pensar sobre o que a Bíblia e também o exemplo de Jesus nos têm a dizer sobre isso.
É interessante que exista uma mudança de pensamento na atualidade, acima de tudo na pedagogia. Não poucos educadores e professores, por necessidade, fazem a si mesmos a pergunta se os métodos das últimas décadas de lecionar e educar de forma bem-sucedida, com o mínimo de pressão e exigências, realmente se mostraram confiáveis.
O fato é que as crianças e os jovens de gerações passadas não apenas aprenderam muito mais em um espaço de tempo menor, mas, no geral, também eram mais ativos e alegres do que nossos atuais jovens, do tipo “Tô nem aí!”.

Em 2006, foi lançado o livro “Elogio à disciplina – uma polêmica”, do conhecido pedagogo e teólogo Bernhard Bueb. O livro encontrou grande atenção, aprovação e aceitação, mas também rejeição. Isso é um indício de que está ocorrendo uma mudança de pensamento. Ultimamente, também na política está sendo dada mais ênfase na importância da moral, de valores e de virtudes cristãs.
Tanto mais surpreendente é o fato de que, no meio evangélico, percebe-se uma tendência contrária. Pregadores e autores conhecidos e influentes não se cansam de enfatizar que é inútil ou até mesmo prejudicial ler a Bíblia ou orar quando não se tem o desejo de fazê-lo.
Alguns testemunhos, em certas revistas e livros evangélicos, parecem dar a impressão de que quase todas as doenças e aberrações intelectuais ou espirituais remetem ao fato de que os autores, quando crianças, foram submetidas à suposta pressão nociva de uma educação ou de um ambiente cristão conseqüente.


Não poucos educadores e professores fazem a si mesmos a pergunta se os métodos das últimas décadas de lecionar e educar de forma bem-sucedida, com o mínimo de pressão e exigências, realmente se mostraram confiáveis.
Ora, é indiscutível que uma educação aplicada pelos pais que seja severa, sem afeto e marcada por legalismo, na qual eles mesmos não vivem o que pedem de seus filhos, pode causar danos devastadores. Também existem muitas provas disso.
Alguns dos conhecidos ateus, nihilistas e que têm ódio de Deus vêm de lares devotos. O que viram e escutaram ali foi tão repulsivo e hipócrita que eles – enojados disso – juraram a si mesmos que não queriam ter mais nada a ver com a Bíblia e com o cristianismo.
Lenin, por exemplo, tinha 15 anos quando seu pai – membro devoto da igreja ortodoxa russa – recebeu a visita de um clérigo. Como freqüentador assíduo dos cultos, a atitude de seu filho o afligia, pois este não queria mais freqüentar os cultos com regularidade. Quando seu pai pediu conselho ao clérigo, este respondeu: “Surrá-lo, deveriam surrá-lo!”
Ambos não imaginavam que o filho estava no quarto ao lado, ouvia com atenção atrás da porta e escutava estes “conselhos”. Cheio de indignação, o jovem Wladimir Iljitsch arrancou o crucifixo que até então carregava pendurado no pescoço. Desta religião ele estava farto. Nunca mais ele queria escutar nada dela. A partir de então igreja e religião eram, para ele, apenas um “meio dos governantes de oprimir as classes inferiores”.[1]
Por outro lado, naturalmente, se espera em muitas outras áreas como, por exemplo, esportistas e artistas, que as pessoas vivam de forma bem disciplinada a fim de terem rendimento máximo.
Todos são compreensivos quando o técnico de futebol “carrasco”, conhecido por sua disciplina, impõe uma multa pesada ou um treinamento adicional a seus jogadores profissionais quando eles não comparecem pontualmente ao treinamento ou quando são desrespeitosos.
Torcedores fanáticos – muitas vezes eles mesmos acima do peso – reivindicam ruidosamente que seus astros dêem tudo de si no gramado a fim de pelo menos obterem uma vitória para seu time: “Queremos ver vocês suando!”
Quando, porém, um dos jogadores fica acima do peso, seja qual for o motivo, ele precisa aprender a conviver com apelidos depreciativos.
Disciplina e vencer a preguiça reiteradamente, assim, fazem parte da virtude de um esportista.
Quando jovens talentosos treinam diariamente algumas horas no piano ou machucam seus dedos em um instrumento de cordas, admiramos sua energia e os encorajamos a cobrarem bastante de si mesmos.
Quase ninguém se irrita quando pessoas atenciosas com sua saúde visitam semanalmente uma academia a fim de, no suor de seu rosto, perderem alguns quilos desnecessários e sacrificam tanto dinheiro quanto tempo para terem uma boa aparência, ao menos na frente do espelho.


Disciplina e vencer a preguiça reiteradamente fazem parte da virtude de um esportista.
No entanto, quando alguém se atreve, de forma apaixonada, a tomar posição em favor da disciplina espiritual entre cristãos convertidos e encorajar as pessoas a aceitarem normas neotestamentárias para o discipulado como “padrão a ser seguido”, essa pessoa tem que contar com as impetuosas acusações de que está exercendo pressão prejudicial e favorecendo “neuroses” religiosas ou eclesiásticas.

O que podemos aprender da Bíblia e do exemplo de nosso Senhor nessa questão discutível, mas importante?

1. Nosso Senhor tinha hábitos constantes!

O fato de que justamente o evangelista Lucas demonstra certos hábitos da vida de Jesus, foi para mim uma descoberta interessante:
Primeiramente, lemos em Lucas 2.42 que os pais de Jesus, “segundo o costume da festa”, viajavam para Jerusalém todos os anos a fim de festejar o Pessach (“Páscoa” em hebraico, n.trad.). Jesus, com seus doze anos, evidentemente participava disso. Ele cresceu em um lar no qual ordenanças bíblicas conduziam a bons hábitos e, finalmente, se tornavam uma boa tradição familiar.
Dois capítulos adiante, lemos que Jesus, com 30 anos de idade, chegou em Sua cidade Nazaré e “entrou, num sábado, na sinagoga, segundo o seu costume” (Lc 4.16).
Como homem adulto, Ele considerava ser natural ir aos sábados para a sinagoga a fim de escutar a Palavra de Deus. Seus pais Lhe deram exemplo disso e, em sua juventude, Jesus praticou isso como um bom hábito.
Mais adiante, é relatado em Lucas 22.39 que ele foi, “como de costume, para o Monte das Oliveiras”. Muitas vezes Jesus procurava este local familiar a fim de passar a noite ali (veja Lc 21.37; Jo 8.1), se reunir com seus discípulos e para orar (Lc 22.41).
Resumindo, constatamos o seguinte:
- Participar da festa da Pessach,
- Ir semanalmente à sinagoga,
- Ir com regularidade ao Monte das Oliveiras a fim de orar...
...eram hábitos incontestáveis na vida de nosso Senhor, os quais Ele praticava como qualquer israelita temente a Deus.
Jesus sabia que o traidor Judas e os soldados, com os servos dos principais sacerdotes, já estavam a caminho para prendê-lO no jardim do Getsêmani. Judas estava bem familiarizado com este lugar (Jo 18.2)! Mas isso não impediu nosso Senhor de, como de costume, procurar este local.

2. O discipulado é inconcebível sem disciplina.

Nosso Senhor não precisava de disciplina ou regulamentações como Homem perfeito, sem pecado. Mesmo assim, Ele é para nós, através de Seu comportamento, um exemplo e um incentivo para praticar exercícios espirituais essenciais para a vida, a fim de que se tornem pilares incontestáveis de discipulado verdadeiro em nossa vida.
Quando descrevermos alguns exemplos de pessoas de oração da Bíblia e da história da Igreja no próximo capítulo, queremos ter em mente as palavras de Jonathan Edwards, escritas na introdução ao diário do missionário entre os índios David Brainerd, cuja vida de oração realmente foi excepcionalmente intensa:
O exemplo de Jesus Cristo é o único que já existiu, na natureza humana, totalmente perfeito; o que, portanto, é um critério para testar todos os outros exemplos. As disposições, as atitudes e as práticas de outros devem ser recomendadas e seguidas na medida que foram seguidoras de Cristo”.[2]
Texto de: Wolfgang Bühne

terça-feira, 2 de julho de 2013

Seja Cheio do Espírito

Para muitos, ser cheio do Espírito Santo é um assunto vago e místico. Não há uma ideia clara e definida na mente das pessoas em relação a isso, além do fato de haver muitos ensinamentos errados sobre esse ministério do Espírito. Não admira que os cristãos sejam confusos quanto a esse assunto.


Em primeiro lugar, ser cheio do Espírito deve ser diferente de Seus outros ministérios:


A habitação

Isso significa que a Terceira Pessoa da Trindade mora, literalmente, no corpo de cada crente. Nosso corpo é o templo do Espírito.


O batismo

O batismo é o ministério do Espírito que coloca uma pessoa no corpo de Cristo no momento em que ela crê. A partir de então, ela se torna membro da Igreja Universal.


O selo

Um selo é uma marca de posse e segurança. Deus Espírito marca o crente como sinal de que pertence ao Senhor e está seguro por Ele.


O penhor

Isso significa um sinal ou garantia. Alguns o comparam com a aliança de noivado. Tão certo como a pessoa possui o Espírito, ela também receberá, um dia, a herança por completo.


A unção

No Antigo Testamento, reis e sacerdotes eram ungidos com óleo em um rito inaugural. Da mesma forma, o Espírito nos unge como sacerdotes reais. A unção possui um significado adicional em 1 João 2.27. O ministério de ensino do Espírito nos permite distinguir a verdade do erro.


Todos esses ministérios do Espírito acontecem no momento em que uma pessoa é salva. Eles são automáticos. Não exigem qualquer cooperação por parte do novo crente. Não há condições a serem satisfeitas. São experiências definitivas.

Ser cheio do Espírito é diferente. Na verdade, no Novo Testamento, há duas formas de sermos cheios.


Primeiro, um crente pode ser cheio do Espírito soberanamente para alguma obra especial. Assim, lemos que João Batista foi cheio do Espírito Santo no ventre de sua mãe (Lc 1.15b). Dessa maneira, Deus o preparou para ser o precursor do Messias. É possível que essa palavra tenha sido usada nesse sentido na maioria das ocorrências no livro de Atos. Foi assim que os discípulos foram cheios do Espírito Santo como preparação para a vinda dEle no Pentecoste (At 2.4). Pedro foi cheio do Espírito, pois precisava ser equipado a fim de ser convincente na transmissão da mensagem às autoridades e aos cidadãos comuns (At 4.8). Pedro e João foram cheios a fim de proclamar a Palavra de Deus com intrepidez (At 4.31). Saulo foi cheio do Espírito para pregar de Cristo em Damasco (At 9.17,22). Depois, ele foi novamente cheio para denunciar Elimas, o mágico (At 13.9). Pelo menos algumas dessas ocasiões em que as pessoas foram cheias do Espírito foram temporárias e não houve exigências a serem satisfeitas para que isso ocorresse.

Segundo, há uma forma de sermos cheios do Espírito para a qual há condições. É isso que encontramos em Efésios 5.18. Não é algo pelo qual você ora, mas uma ordem à qual obedece. É claro na língua original do Novo Testamento que o significado desse versículo é: “Sejais continuamente cheios”. Trata-se de um processo contínuo, não de uma realização. Não é uma experiência emocional, mas uma vida de santidade constante.


Paulo escreveu: “E não vos embriagueis com vinho, no qual há dissolução, mas enchei-vos do Espírito”. Por que ele mencionou algo tão ruim quanto a embriaguez juntamente com o nosso dever de sermos cheios do Espírito? Provavelmente porque há algumas semelhanças e diferenças evidentes entre as duas coisas. Primeiro, as semelhanças. Em ambos os casos, a pessoa está sob um controle externo. Na embriaguez, ela está sob o controle da bebida alcoólica chamada, às vezes, de “espíritos”. Ser cheio do Espírito significa que ela está sob o controle do Espírito Santo. Em ambos os casos, é possível saber quem a controla pela forma como anda: o bêbado cambaleia a esmo; a pessoa cheia do Espírito anda separada do pecado e do mundo. Em ambos os casos, é possível saber quem a controla pelo modo como fala: a fala do alcoólatra é enrolada e profana; a fala do crente é edificante e exalta a Cristo.


Também há duas diferenças. Quando se está embriagado, há perda do autocontrole; quando se está cheio do Espírito, não há perda do autocontrole. Quando se está embriagado, há uma menor resistência ao pecado; quando se está cheio do Espírito, a resistência é maior.


Lembrei-me das palavras perspicazes de James Stewart: “Se é pecado embriagar-se com vinho, é um pecado ainda maior não ser cheio do Espírito”.


Conforme mencionado, ser cheio do Espírito é a vida de santidade. Você a encontra sob diferentes aspectos nestas passagens:

- É o caráter de um cidadão do reino (Mt 5.1-16);
- É a vida permanente (Jo 15.1-17);
- É a vida de amor (1 Co 13);
- É a armadura do cristão (Ef 6.10-20);
- É a vida do caráter cristão (2 Pe 1.5-11).


A seguir, algumas coisas essenciais a fazer para ser cheio do Espírito:

- Confesse e abandone o pecado assim que tomar consciência dele (1 Jo 1.9; Pv 28.13);
- Submeta-se ao controle do Senhor em todos os momentos (Rm 12.1-2);
- Encha-se com a Palavra de Deus (Jo 17.17). Você não pode ser cheio do Espírito a menos que a Palavra de Cristo habite em você ricamente (Cl 3.16);
- Passe bastante tempo em oração e adoração (Rm 8.26; 2 Co 3.18);
- Mantenha-se perto da comunhão cristã, evitando envolver-se com questões do mundo (Hb 10.25; 2 Tm 2.4);
- Ocupe-se para o Senhor (Ec 9.10);
- Diga um sonoro “não” para os apetites ilícitos da carne (1 Co 9.27). Responda à tentação pecaminosa como um morto responderia (Rm 6.11). No momento de forte tentação, clame ao Senhor (Pv 18.10). Tome medidas rigorosas para evitar qualquer pecado (Mt 18.8). Fuja, não caia (2 Tm 2.22). Aquele que luta e foge sobrevive para lutar mais um dia.
- Controle seus pensamentos (Pv 23.7; Fp 4.8);
- Seja Cristocêntrico, não egocêntrico (Jo 16.14).

Agora faça o que tem de fazer, crendo que o Espírito está no controle.

Como é ser cheio do Espírito? A maior parte da vida provavelmente continuará sendo o habitual trabalho duro, rotineiro e secular. Às vezes, haverá picos. Porém, você perceberá que os mecanismos da vida se encaixam, que acontecem coisas incomuns. Você terá consciência de que o Senhor está operando em você e por seu intermédio. Sua vida reluzirá com o sobrenatural e, quando você tocar outras vidas, algo acontecerá para Deus.

Além disso, haverá poder (Lc 24.49; At 1.8), intrepidez (At 4.13,29,31), alegria (At 13.52), louvor (Lc 1.67-75; Ef 5.19-20) e submissão (Ef 5.21).

Um último aviso. A pessoa que é cheia do Espírito nunca diz que é. O ministério do Espírito é exaltar Cristo, não o crente. Vangloriar-se como se o tivesse alcançado é orgulho.
 
Autor: William MacDonald